Brasileirão Assaí é marcada por campanha de combate ao racismo

Rodada do Brasileirão Assaí é marcada por campanha de combate ao racismo

Jogadores, árbitros e treinadores protestaram contra o preconceito racial em dez jogos; ação foi feita em toda rodada do fim de semana da Série A

Partida entre Vasco da Gama x Fortaleza no Estadio Castelão em Fortaleza em 27 de maio de 2023
Créditos: Daniel Ramalho/Vasco

Jogadores e treinadores dos 20 clubes do Brasileirão Assaí participaram, no sábado (27) e domingo (28), da campanha de combate ao racismo promovida pela CBF na oitava rodada da competição. Vários deles entraram em campo vestindo a camisa com a frase “com o racismo não tem jogo”. Em seguida, sentaram no gramado logo após o apito inicial em apoio à campanha - gesto copiado pelas equipes de arbitragem.

Partida entre Vasco da Gama x Fortaleza no Estadio Castelao em Fortaleza em 27 de maio de 2023
Créditos: Daniel Ramalho/Vasco

As faixas dos capitães, as moedas utilizadas pela arbitragem e as bolas dos jogos da rodada também tiveram a frase "com o racismo não tem jogo" gravadas.

Flamengo e Cruzeiro participam de ação antirracismo
Créditos: Staff Images

Um vídeo com a participação de artistas e atletas se posicionando contra o racismo foi exibido nos telões dos estádios. A frase criada pela CBF também pôde ser vista nas placas de publicidade ao redor do campo. 

A iniciativa foi tomada após os mais recentes casos de racismo envolvendo jogadores brasileiros, não só no país como no exterior. 

"Essa é a mensagem potente que queremos passar para toda a sociedade. Com racismo não tem jogo. Contamos com o apoio de cada torcedor. Racismo é um crime brutal e deve ser banido dos estádios. Basta de preconceito", afirmou o Presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, primeiro negro e nordestino a comandar a entidade em mais de 100 anos de história.

Jogadores de Internacional e Bahia também apoiaram campanha da CBF
Créditos: Ricardo Duarte / SC Internacional

A CBF é a primeira entidade esportiva do futebol a adotar no Regulamento Geral de Competições a possibilidade de punir esportivamente um clube em caso de racismo. A novidade foi incluída no RGC de 2023, em fevereiro. 

Desde o ano passado, a CBF faz uma série de campanhas de combate ao racismo no futebol. Em agosto, a entidade realizou o primeiro Seminário de Combate ao Racismo no Futebol e conta com um Grupo de Trabalho que discute de forma permanente o assunto.

A bola dos jogos da oitava rodada da Série A também lembrou o combate ao racismo
Créditos: Staff Images

Dogecoin ainda é a criptomoeda 'favorita' de Elon Musk

10 atrações turísticas brasileiras mais populares no Instagram

watchOS 10 traz melhorias para ciclistas e saúde mental

Ler mais